Vinte anos depois, o sucessor do Dalai Lama continua desaparecido

2015-05-19-Sucessor-Dalai-Lama-Gedhun-Choekyi-Nyima-Tibete

Apelos a Pequim para que diga onde se encontra continuam a ser respondidos com silêncio.

 

Em 1995, o Dalai Lama designou um menino de seis anos chamado Gedhun Choekyi Nyima como seu sucessor – isto é, como a reencarnação do 10.º Panchen Lama. Três dias depois, a China levou-o e aos seus pais para um local ainda hoje desconhecido.

Agora que passam vinte anos sobre o desaparecimento da família, o governo tibetano no exílio pede a Pequim que diga finalmente onde está a família.

É pouco provável que o regime chinês responda. Pouco depois de levar Gedhun, nomeou um outro menino como a verdadeira reencarnação do Panchen Lama. O seu nome é Gyaincain Norbu.

Quando o Dalai Lama falecer, será a ele que as autoridades chinesas reconhecerão como líder religioso no Tibete. Haverá portanto um cisma, com dois sucessores diferentes reconhecidos por autoridades diferentes – embora seja provável que Pequim, nessa altura, faça aparecer Nyima para aprovar Norbu.

“Não é um assunto político, mas religioso. Tem a ver com o modo fundamental de vida tibetano”, diz o porta-voz do governo tibetano no exílio.

A data em que Nyama desapareceu, 17 de Maio, será designada como o dia da solidariedade tibetana. Entretanto, o Dalai Lama já sugeriu que quando ele próprio morrer poderá terminar a série de reencarnações que já duram há quinhentos anos. Para evitar o risco de surgir um “estúpido”, explicou.

No Expresso

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s