10 Mal-Entendidos sobre o Budismo

buddhist_meditation_statue_-_david_gabriel_fischer_on_flickr_creative_commons.jpg

Em baixo alguns pontos populares sobre o Budismo que criaram alguns mitos, os quais em alguns casos não correspondem ao que é ensinado pelo Budismo.

1. Todos os budistas meditam. 

A meditação é muitas vezes identificada como a prática central do Budismo. No entanto, a maioria dos Budistas ao longo da história não meditaram!  A meditação tem sido tradicionalmente considerada uma prática monástica e, mesmo assim, como uma especialidade apenas de certos monges. É somente a partir do século 20 que a prática da meditação começou a ser amplamente praticada por leigos.  (Nota: há um artigo que será traduzido explicitando esse ponto, quando acabado, haverá um link neste ponto para ele, link para o artigo ainda em inglês:http://www.tricycle.com/blog/biggest-misconception-about-buddhism )

2. A principal forma de meditação Budista é a Atenção Plena. Na verdade, existem centenas de formas de meditação budista, para o desenvolvimento de alguns estados profundos de concentração e êxtase mental, algumas para análise dos constituintes da mente e do corpo para descobrir que não existe um eu, alguns para encontrar o Buda face-a-face. A prática da Atenção Plena como é ensinada na América de hoje começou na Birmânia no início do século 20.  (Nota: há um artigo que será traduzido explicitando esse ponto, quando acabado, haverá um link neste ponto para ele, link para o artigo ainda em inglês:http://www.tricycle.com/blog/which-mindfulness )

3. Todos os budistas são vegetarianos. 
Bhikshu, é o termo sânscrito traduzido como “monge”, significa literalmente “mendigo”. Monges e monjas budistas originalmente mendigaram por sua refeição diária (alguns ainda o fazem) e, portanto, deveriam comer o que foi oferecido a eles, incluindo carne. Segundo algumas fontes, a disenteria que o Buda sofreu antes de entrar no nirvana ocorreu após ele ter ingerido carne de porco. Nos séculos após a morte do Buda, o vegetarianismo começou a ser promovido em alguns textos budistas. No entanto, ainda hoje nem todos os monges e monjas budistas são vegetarianos. Por exemplo, na China, são; no Tibete, não.

4. Todos os budistas são pacifistas. 
Costuma-se dizer que uma guerra nunca foi travada em nome do Budismo. Não está claro o que “em nome de” possa significar, mas tem havido muitas batalhas entre os Budistas (com alguns mosteiros budistas terem seus próprios exércitos). Também houveram guerras de budistas contra os não-budistas. Os budistas tibetanos lutaram bravamente contra as forças britânicas que invadiram o Tibete. Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos sacerdotes japoneses apoiaram a expansão militar do império japonês.

5. O Budismo é uma filosofia e não uma religião. 
O Budismo tem muitas escolas filosóficas, com uma sofisticação igual ao de qualquer escola filosófica que se desenvolveu na Europa. No entanto, o budismo é uma religião em qualquer definição desse termo, a menos que se defina a religião como crença num Deus criador. A grande maioria da prática budista ao longo da história, tanto para os monges e leigos, tem sido focada num renascimento na próxima vida, se para si mesmo, para a sua família ou para todos os seres do universo.

6. O Buda era um ser humano, não um Deus e a religião que ele fundou não tem lugar para a adoração dos deuses. O Budismo tem um panteão elaborado de seres celestiais (devas, o nome é etimologicamente relacionada com a palavra em Inglês divindade ) e avançados seres espirituais (bodhisattvas e budas), que ocupam vários céus e terras puras e que respondem às orações dos devotos.

7. Zen Budismo rejeita convencional. 
É dito, que os mestres zen queimaram estátuas de Buda, desprezaram os sutras. Mas, os monges zen seguem um rigoroso conjunto de regras, chamadas de “regras puras”, que são baseadas na disciplina monástica importada da Índia. A maioria dos monges Zen envolveram-se num extenso estudo de escrituras budistas antes de começaro o seu treino na sala de meditação. E apesar de um poema célebre no Zen fala de “não depender de palavras e letras,” o Zen tem o maior volume de literatura budista escrita de qualquer tradição do budismo Asiático.

8. As quatro nobres verdades são nobres. 
A famosa frase “quatro nobres verdades” é um erro de tradução. O termo “nobre” em sânscrito é ariano , uma palavra perfeitamente boa que significa “nobre” ou “superior” que foi arruinado pelos nazistas. Ariano é um termo técnico no budismo, referindo-se a alguém que teve experiência directa da verdade e de nunca mais renascer como um animal, fantasma ou ser do inferno. As Quatro Verdades:  o sofrimento, a origem, a cessação e o caminho óctuplo são verdadeiras para esses seres iluminados. Eles não são verdadeiras para nós pois ainda não entendemos que a vida é sofrimento [vivemos na ilusão]. Assim, o termo significa “quatro verdades para aquele que é [espiritualmente] nobre.”

9. O Zen é dedicado à experiência de “iluminação súbita”, que liberta os seus seguidores dos regimes prolongados de treino em ética, meditação e sabedoria encontrados em formas convencionais de budismo. 
Os monges zen rotineiramente esperaram passar décadas de prática em tempo integral antes de serem capaz de fazer um progresso real na sua meditação.

10. Todas as tradições espirituais, o budismo incluído, são caminhos diferentes para a mesma montanha. 
Muitos pensadores budistas afirmam de forma inequívoca que a iluminação é acessível apenas para aqueles que seguem o caminho budista. Seguindo outras religiões, pode-se obter apenas até o momento, em geral, o renascimento em um “céu” ou “paraíso”; mas só o budismo tem o caminho para a libertação do sofrimento. Todos os caminhos podem levar ao acampamento base, mas apenas o budismo leva até o cume.

Sobre os autores:  Robert E. Buswell Jr. e Donald S. Lopez Jr. , link original em:  Tricycle.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s