Patrick Beach, o guru que descomplica o ioga.

Esqueça tudo o que sabe sobre ioga. Patrick Beach é o novo embaixador dos ginásios Virgin Active e criou três aulas simples que chegam em março. O Jornal Observador entrevistou em Madrid.

86a810544_770x433_acf_cropped

Patrick Beach caminha descalço, de um lado para o outro, no estúdio Mind & Body do Virgin Active Classic, em Madrid. “Sejam bem vindos”, cumprimenta tão tranquilo como a hora da sesta em Espanha. Dormiu quatro horas e veio directo de Londres para desmitificar tudo o que se diz sobre o ioga. Uns chamam-lhe guru, outros instagrammer — soma 330 mil seguidores nesta rede social — e a partir de agora tem também o título de embaixador da cadeia de ginásios que criou novas aulas para tornar o ioga acessível a pessoas de todas as idades, seja qual for a sua condição física.

A partir de março chegam três ofertas diferentes aos clubes Virgin Active de Portugal (mensalidades a partir de 65€/mês): yoga strenght (força), yoga align (postura) e yoga calm (calma).

Seja para fortalecer, aumentar o equilíbrio, criar flexibilidade ou acalmar a mente temos uma aula para todos”, diz Patrick Beach. “Nós simplificamos ao dividir as nossas aulas em três categorias para encontrar qual é a melhor para si.”

Consoante as necessidades, poderá, respetivamente, melhorar a força do core, adquirir flexibilidade e melhorar a performance desportiva ou aumentar o seu nível de mindfullness para desanuviar depois de uma semana stressante. Esqueça o método tradicional e a ideia de que o ioga é lento, fácil, não conta como exercício físico ou é só para mulheres.

Porque é que o ioga é uma das principais tendências de fitness actuais?
Acho que as pessoas levam vidas muito ocupadas e estão constantemente a ser empurradas em diferentes direções, porque têm que fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Todos nós temos vidas loucas e acho que isso é um desafio porque as pessoas, em geral, tendem a esquecer-se de cuidar de si. O ioga permite que aprenda a cuidar de si próprio, adquira padrões e aprenda hábitos de auto-conhecimento para descobrir quem realmente é. Com esse tipo de conhecimento sobre si, começará a levar uma vida com compaixão e empatia pelas outras pessoas. O que é uma coisa tão bonita porque quanto mais cuidar de si próprio, mais fácil será compartilhar bondade com outras pessoas. Penso que a bondade é o que está a faltar no mundo de hoje e é, provavelmente, o que as pessoas estão à procura e a razão pela qual o ioga está a crescer.

Mas será o ioga para toda a gente?
Sim, claro. Tenho alunos dos 10 aos 89 anos. Existe um estigma social de que o ioga é só para mulheres mas estou aqui para comprovar o contrário. [risos] Acho que há oito ou sete anos, quando o ioga ganhou popularidade no mundo ocidental, foi promovido pelos principais meios de comunicação social como sendo uma forma das mulheres ganharem flexibilidade. Essa foi uma mensagem que se espalhou como um incêndio e o ioga ficou assim associado porque, no geral, os homens não querem ganhar flexibilidade. Ao longo do tempo, as pessoas começaram a ver diferentes estilos de ioga activo que fazem suar e essa é parte da razão pela qual há cada vez mais homens, em todo o mundo, a praticar a modalidade.

Com os meus workshops e práticas, quero ajudar a desmitificar o ioga. Quero mostrar às pessoas que o ioga não tem apenas benefícios a nível de fitness, mas também benefícios mentais reais. Eu tenho clientes por todo o mundo que começaram a praticar ioga para melhorar a força, a estabilidade e o controlo corporal, mas que se apaixonaram pela prática, pela clareza e relaxamento que ela traz às suas mentes.

Quais são os grandes benefícios da modalidade?
Os benefícios do ioga começam a nível físico. Se começa a praticar ioga, é porque o seu corpo precisa de se sentir melhor. Quanto mais se sente bem no seu corpo, mais gosta de praticar ioga. Quanto mais pratica ioga, mais começa a ganhar consciência sobre quem é e sobre as coisas que gosta de fazer. Quanto mais se conhecer, mais fácil será viver situações positivas para viver uma vida recheada de amor, felicidade e gratidão.

Porque é que devemos praticar ioga de mente aberta?
Porque existem diferentes tipos de ioga e deve encontrar qual é melhor para si para o seu corpo e mente, consoante o objetivo que tem. É uma oportunidade de ajustar as suas intenções com as ações, o que é difícil de fazer a toda a hora porque, às vezes, queremos fazer algo mas não sabemos bem como. O ioga dá-lhe a oportunidade de descobrir isso. Adicionalmente, quanto mais a mente está aberta a possibilidades, mais larga será a sua perspetiva sobre a vida. Se viver com uma mente fechada, vai limitar o seu potencial e a possibilidade de coisas que poderá fazer.

Qual é a relação do ioga com a espiritualidade?
Quando começar a confiar e a conhecer-se a si próprio com o ioga, começará a ganhar um lado espiritual e a ter consciência de quem é porque está a dedicar tempo a posições que estimulam a auto-compreensão. A partir daí, começa a compreender mais os outros e a viver com compaixão, gratidão e carinho. Só assim é que conseguirá viver realizado porque vai deixar de estar sempre a pensar no que poderá fazer para ganhar mais dinheiro, viver numa casa maior ou ter um carro melhor. Vai sim começar a pensar onde poderá viver experiências recheadas de honestidade e felicidade.

Foi por isso que se apaixonou pelo ioga?
Comecei a praticar ioga porque era jogador de basquetebol. O meu corpo estava tão rígido e dorido que não me conseguia sentar no chão. A minha mãe tinha feito ioga há alguns anos e ensinou-me algumas posições simples para alongar os quadris. Desde então tomei-lhe o gosto e comecei a estudar a prática. Apaixonei-me porque o ioga não é competitivo ou demasiado agressivo. Adoro não ter a obrigação de ser mais do que aquilo que quero ser. Desde então pratico ioga todos os dias durante duas horas independentemente de onde estiver.

Qual é a coisa mais importante que aprendeu com o ioga?
Aprendi que tudo depende da minha perspetiva e consciência. Há duas coisas que posso sempre controlar: a minha atitude e o meu esforço. A forma como eu encaro as situações depende só de mim. Posso encarar a vida positiva ou negativamente. Basta mudar o pensamento. Acho que encontrar equilíbrio é uma das coisas mais importantes para viver uma experiência feliz, quer faça muito ou pouco ioga. Precisa de encontrar tempo para explorar o seu lado extrovertido e introvertido. Tenha 10 ou 89 anos.

Anúncios

One thought on “Patrick Beach, o guru que descomplica o ioga.

  1. Sem querer retirar valor ao que este Sr. diz nesta entrevista, o yoga sempre foi o que ele pretende afirmar como uma forma pessoal de encarar o yoga. Quem estuda a história e a filosofia do yoga, vai encontrar todos estes conceitos, formas de ensinar e formas de encarar o yoga. Novidade não tem nenhuma.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s